LER É UM PASSO PARA CRESCER!
RSS

domingo, 13 de junho de 2010

O BURRINHO LUTADOR! (CAPÌTULO IX)

      Andaram, andaram… até cair a noite. Já o sol tinha fechado as janelas, preparando-se para dormir, quando finalmente encontraram uma quinta. Não resistiram a espreitar por um buraco, na porta do estábulo. Ao espreitarem, ouviram um cavalo a relinchar…. Ihhhh!….Ihhhhhh!…Ihhhhhhh!
      - Quem está aí? – perguntou o cavalo.
     - Eu chamo-me Mico e este é o meu amigo Caramelo.
      - O que fazem aqui? – perguntou o cavalo.
      - Já vimos a caminhar há muito tempo, estamos muito cansados. Procuramos um lugar para passarmos a noite. – responderam os amigos.
      - Por mim podem pernoitar cá. Mas, só há um problema. O meu dono não pode saber. Ele não gosta de intrusos na quinta! – respondeu o cavalo Egas.
      - Nós prometemos que quando o sol acordar, já estaremos longe daqui! – responderam os amigos, satisfeitos com o acolhimento do Egas.
      O Egas, como um bom anfitrião, procurou arranjar um lugar confortável para os seus novos amigos descansarem.
       O rato Mico ficou alojado no celeiro, como era o seu desejo! Rodeado de milho e palha!
       O burrito Lutador foi contemplado com uma cama feita em cima de uma pilha de fardos de palha!
      Depois de um dia longo, os amigos, dormiam refastelados! O seu ressonar parecia o barulho, esganiçado, dos tractores agrícolas! Entretanto, soou um alerta de perigo! O galo teimoso alertava que o dono da quinta estava próximo.
      Com esta barulheira, o descanso tinha terminado. Os amigos acordaram assustados. O burrito caiu da sua luxuosa cama, quase quebrando uma perna! O Mico deslizou, nos grãos de milho, como se estivesse numa pista de gelo! Ainda ensonados e zonzos, ouviram a voz do amigo Egas a dizer:
      - Fujam rapidamente! O dono aproxima-se!
      Muito assustados, sem tempo para despedidas, como mandam as boas maneiras, os dois amigos fugiram pelo campo fora. Chegaram a um local ermo, onde encontraram três caminhos. Cada um dos caminhos permitia ir ter a locais diferentes. Todos eles com características diferentes: - Um ia para o pântano do conhecimento; outro ia ter à lagoa da felicidade; e, por fim, indicava a floresta da riqueza.
      Da necessidade de optar surgiu uma acesa discussão. Fazer opções não é fácil!
      Os dois amigos envolveram-se numa troca de argumentos, cada um, queria seguir um caminho diferente. Deste modo, travavam uma luta de palavras, pois também não se queriam separar, já tinham vivido muitas aventuras juntos…

E.B.1 de Ribaçais
4.º Ano

0 comentários:

Publicar um comentário