LER É UM PASSO PARA CRESCER!
RSS

sexta-feira, 22 de janeiro de 2010

O BURRINHO LUTADOR! (CAPÍTULO IV)

     … amigos.
    Os dias foram passando… Caramelo gostava cada vez mais do convívio com os seus novos companheiros. Eram muito divertidos e tão simpáticos!
     No entanto, dentro de si, bem no fundo do seu coração, estava o desejo de conhecer as terras com que sonhava.
     Então, enchendo-se de coragem, foi falar com os seus amigos, informando-os que estava de partida.
     Mico, quando soube dos sonhos do Caramelo em conhecer sítios novos, pediu para o acompanhar nessa aventura.burrinho lutador 1
     - Posso ir Caramelo? Oh! Como seria magnifico visitar o mundo que nos rodeia! – exclamou com um brilho de entusiasmo nos olhos.
     - Bem… suponho que ter um companheiro até seria agradável… - disse o burrito pensativo.
     - Gostava tanto de ir convosco! – suspirou Pestinha – Mas quem cuidaria do nosso Cantinho Mágico? Terei de ficar, mas prometam-me que voltam em breve!
     Concordando, os dois amigos partiram, ansiosos por novas descobertas. Partiram ansiosos mas descurados, não estando atentos à comida que escasseava à medida que iam encontrando cada vez menos riachos e campos verdejantes.
     Passado uns dias a comida acabou de vez.
     Preocupadíssimos e esfomeados nem pensaram nos perigos que podiam encontrar, quando entraram na enorme e estranha quinta que avistavam à sua frente.
     - Caramelo… Caramelo! – gritava Mburrinho lutador 2ico extasiado – Olha!... Tantos animais! Tanta comida!
     - Sim, mas… os animais não parecem lá muito felizes… – dizia o burrito atento, pressentindo algo esquisito.
     Não tardou a aparecer junto deles um pequeno gato de olhos verdes e grandes bigodes.
    - Mas… quem são vocês?!
    - Eu sou o Caramelo e este é o meu amigo Mico. Nós estamos em viagem, visitando novas terras. Infelizmente a nossa comida acabou e viemos pedir alguns mantimentos.
     O pequeno gato soltou uma gargalhada que fez estremecer os seus bigodes.
    - Eu teria muito prazer em ajudar, mas aqui, a nossa comida é controlada. O nosso dono é muito ganancioso e gasta o mínimo que pode connosco… – lamentou-se.
     Olhando mais atentamente para ele, Caramelo reparava agora como os ossos do gato sobressaíam na pele. Pobrezinho!
     Os pensamentos dele foram interrompidos por um barulho estranho, que fez o gato ficar amedrontado, encolhendo-se atrás do burrito.
     - O m… m… meu nome é Bigodes. E aquele…

Trabalho realizado pelos alunos do 4º ano da EB1 de Bairros nº 2
Ilustrações de: Estela Inês e Ana Sofia

1 comentários:

Anónimo disse...

Muito bonita e bela a historia destas duas pessoas jovens numa epoca muito diferente dos pais! Parabéns filha e tua amiga

Publicar um comentário